quarta-feira, 22 de julho de 2015

XV CORRIDA DO FOGO - MATÉRIA TV GAZETA

XV CORRIDA DO FOGO - MATÉRIA TV PAJUÇARA

Filme oficial da XV Corrida do Fogo

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Exercícios Musculares para complementar a corrida

 Veja dicas de exercícios e fortalecimento dos músculos indicados para os atletas.
Correr de um cachorro, fugir de alguém em brincadeiras e correr para alcançar o ônibus são algumas das possibilidades que sempre, em sua história, os humanos realizaram instintivamente.
Atualmente, e por mais algumas centenas de anos, os seres humanos precisarão da corrida para mantê-los mais saudáveis, até que se invente uma pílula que os façam condicionar fisicamente sem expelir uma gota de suor.
Enquanto isso, temos que encontrar as formas mais saudáveis de correr e se divertir também. Para que o corredor se condicione para o seu bem estar e esteja preparado para participar de provas, caso seja esse o seu intuito. Para tais intuitos, precisará de mais cargas, mais oscilações de quilometragem e de trocas de velocidades.
No mais, os exercícios de fortalecimento completam a corrida, se mostrando muito importantes, para quem deseja atingir uma saúde inabalável, ou ainda, para uma maior intensidade de corrida, pronunciada e feliz.
Em outra oportunidade tratei deste tema, porém, acreditando que o assunto ainda não esgotou e pela sua grande importância, resolvi escrever outras recomendações e de forma diferente, possibilitando o atendimento a todos os leitores que estejam se preparando para se manter saudável ou ainda, que deseje correr, praticar atividades subaquáticas, alpinismo e demais modalidades que exijam a resistência e a resistência de força em conjunto.
Fazer musculação dentro dos padrões de resistência de força nos provém de uma resistência capaz de auxiliar a superar obstáculos de subidas e descidas, remar, jogar com uma raquete, participar de um simples jogo de futebol com os amigos, que invariavelmente deixa pessoas lesionadas, sem ao menos ter algum compromisso mais sério com a modalidade. Para se correr, andar ou ainda andar e correr, sem compromisso, assim como somente para se condicionar um pouco e aproveitar a vida moderna, que nos estressa, pode seguir uma rotina sem muita preocupação com cargas de musculação e demais cargas de treinos de corrida.
A força necessária para o nosso dia a dia, sem intuitos maiores ou competitivos, pode ser desenvolvida por pequenos objetos que carregamos diariamente. As forças que realizamos em diversas atividades diárias em nosso lar e em nosso trabalho, darão conta de um suporte mínimo para nos manter bem alinhados. Para que estes trabalhos sejam revertidos positivamente, é melhor que você observe os movimentos executados para qual dos lados realizou aquela atividade e proceda da mesma forma no outro lado. Se precisar fazer um jardim, apertar algum parafuso ou realizar trabalhos que exija carregar peso faça-os utilizando os dois lados, ou seja, com a mão esquerda e com a mão direita também.
Mas quando realizar exercícios de fortalecimento? Todo o tempo que você puder, distante dos horários de corrida, alternando grupos musculares dos membros inferiores, membros superiores, costas, abdome, glúteo. Respeite sempre as porções, em separado, treinando (quadríceps) coxa posterior e (Bíceps Femoral), coxa anterior, bíceps braço, tríceps braço, tornozelo, são alguns pontos muito importantes para o cidadão ou o corredor, e que pode ser realizado de forma tão simples que você vai se surpreender.
Não vale correr com pesinhos pendurados ao corpo ou com halteres nas mãos e pés, muito menos sair arrastando pneus pelas ruas. É simples! Basta você definir 20 ou 30 minutos por dia, dentro de um tempo que não atrapalhe e pronto: já pode começar a sentir os benefícios.
A corrida, de quem se condiciona muscularmente é, sem dúvida, uma corrida mais resistente. Seus músculos sentirão menos os efeitos do estresse, dada à vantagem destes se encontrarem eficientemente preparados e por isso, mais resistentes. Esta combinação de resistência de força e resistência física geral é possível pelo trabalho de resistência de força muscular, que difere, por exemplo, você desenvolver um trabalho mais pesado de musculação. Uma combinação de corrida longa e exercícios mais pesados pode oferecer uma supercarga de força nos músculos, já acostumados a se estressar, pelo esforço consequente da corrida de longa distância.
Então, antes de se esforçar muito para correr melhor, pense em algumas sessões de Exercícios Musculares a uma carga prevista de número de séries e/ou total de peso a se levantar, que esteja próxima de 70% ou 80% da sua capacidade máxima para o momento, durante a execução de exercícios diversos de halteres.
Boa sorte e ótima composição de forças!

Matéria indicada por minha amiga  Maria Silvânia Ferreira da Silva Estudante de Ed. Física.

Dores no joelho: saiba como cuidar dessa articulação e evitar lesões


O joelho é a parte do corpo que mais apresenta dores e lesões entre os corredores devido a uma sobrecarga na região entre a patela e o fêmur.

Por Raquel Castanharo
São Paulo.
Se um corredor te pedir para adivinhar em qual parte do corpo está sentindo dor e você disser “joelho”, você tem quase 50% de chance de acertar. O joelho é a articulação do corpo que mais apresenta dores entre atletas, especialmente nos esportes que envolvem corrida. A dor no joelho é tão frequente entre corredores que existe até uma situação clínica chamada “joelho de corredor”.

O joelho de corredor se refere à Síndrome da dor femoropatelar, na qual o principal sintoma é dor na região anterior do joelho, atrás da patela (rótula). Ela acontece devido a uma sobrecarga na região entre a patela e o fêmur (osso da coxa) e pode ser causada por:
•  Desalinhamento do joelho: a falta de alinhamento da patela gera pontos de contato inadequados entra ela e o fêmur, aumentando a pressão entre essas estruturas. O desalinhamento pode acontecer durante a corrida se o joelho cair para dentro quando o pé está no chão (padrão conhecido como valgo de joelho). Embora esse desalinhamento seja mais visível no joelho ele acontece principalmente por uma falha da musculatura lateral da coxa (músculo glúteo médio), o que permite com que a coxa caia para dentro

O valgo do joelho durante a corrida também pode causar dor na parte interna desta articulação, devido a uma inflamação dos tendões dos músculos da região, conhecidos como Pata de Ganso (músculos semitendinoso, grácil e sartório)

•  Falha no amortecimento de impacto: O impacto do corpo com o solo durante a corrida é de aproximadamente 3 vezes o peso corporal. Logo após o pé encostar no chão os músculos têm que amortecer esse impacto. O joelho se dobra aproximadamente 40 graus e o músculo quadríceps (anterior da coxa) se contrai para cumprir essa função. Se existe uma falha na força ou na coordenação do quadríceps o joelho dobra mais do que deveria, o que aumenta a pressão entre a patela e o fêmur, gerando dor ao longo do tempo e repetições

•  Desalinhamento do pé: uma pronação excessiva do pé (pé caído para dentro) também pode desalinhar o joelho, além de comprometer a absorção de impacto

•  Treinos: um aumento brusco da intensidade dos treinos ou um volume de treino exagerado pode sobrecarregar o joelho além de seu limite.

Tratamento e prevenção
A seguir estão citadas algumas orientações que podem ajudar na diminuição da dor no joelho e em sua prevenção. Porém o tratamento real e ideal envolve o diagnóstico de um médico e fisioterapia para reverter as causas da dor:

•  Fortalecimento dos músculos quadríceps (anterior da coxa), glúteo médio (lateral do quadril) e glúteo máximo (posterior do quadril)



  • Procurar correr com o corpo bem ereto, como se existisse uma linha imaginária que te levantasse para cima pela cabeça

Aplicação de gelo por 20 minutos após o treinamento se houver dor.


Raquel Castanharo
É Fisioterapeuta formada e mestranda em Biomecânica da Corrida na USP. Realizou pesquisa em biomecânica da coluna na University de Waterloo, Canadá. Trabalha com fisioterapia e avaliação do movimento. 
Matéria indicada por minha amiga Maria Silvânia Ferreira da Silva-Estudante de Edu. Física.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

5 COISAS QUE O CORREDOR DEVE PARAR DE FAZER:


Uma treinadora americana publicou um miniguia para o corredor realizar a prova com segurança.
Já se pegou em um estágio da corrida em que você sabe que está fazendo algo errado, mas não consegue entender o quê, tampouco tem alguém que faça isso por você? Seus problemas acabaram. A treinadora americana Christine Many Luff, membro da American Council on Exercise e da Road Runners Club of America, publicou um miniguia com as coisas que um corredor de rua deve parar de fazer para realizar uma corrida com segurança. 

1. Ignorar a dor

A atividade física não foi feita para doer. Se o corpo dói, algo está errado. Não pense que perder uma ou outra corrida por conta da dor vai arruinar seu programa de treinos. Na verdade, se você correr dolorido, isso pode evoluir para uma lesão ou algo pior.

2. Correr com o tênis errado

Muitas lesões e desconfortos acontecem quando você corre com um tênis vencido ou inapropriado para o seu pé e para o seu estilo de corrida. Os pés transpiram três vezes mais do que qualquer parte do corpo e precisam ser bem cuidados. Aposte em ajuda especializada, como ortopedistas esportivos e testes específicos sobre o tema.

3. Dizer que você não é um corredor de verdade

Existe um preconceito com quem corre acima de um pace de 7’. Esses geralmente justificam a baixa velocidade dizendo que não são corredores de verdade. Mas, para ser um verdadeiro corredor, basta correr. Não importa se é uma maratona ou uma prova de 5 km em uma hora. Honre seu hobby.

4. Pular o aquecimento

Muitos corredores, algumas vezes instruídos por seus treinadores, não realizam o devido aquecimento antes do treino diário ou de uma prova. Esse erro tira a flexibilidade do músculo e impede uma amplitude maior na hora de correr. Um aquecimento de 5 minutos, com uma caminhada ou alongamento básico, faz com que o sangue flua pelo corpo e prepare a musculatura para o exercício.

5. Correr sem se hidratar

Certos corredores não bebem líquido antes e durante a corrida, com medo de sentir dores abdominais ao longo do exercício. Pecado mortal. Quando corremos, perdemos quase 2 kg de nosso peso normal por conta da transpiração e equilíbrio da temperatura interna. Sem água, o organismo superaquece, além de não repor os sais minerais perdidos no suor.

Texto indicado pela atleta e estudante de Edu. Física: Maria Silvânia Ferreira da Silva